Histórias

A família Alves - o novo projecto em Jazente (Amarante)

A família Alves é constituída pela Sra. Alice, de 73 anos e pelo filho João (31); a Sra. Alice tem mais uma filha, no entanto ela é camionista e apenas está em casa o fim-de-semana.

A casa onde a Sra. Alice e o filho vivem, já pertence à família há muitos anos pois era propriedade do marido da Sra. Alice, que, entretanto, faleceu.

O João tirou uma formação como cozinheiro, no entanto está actualmente desempregado e o único rendimento da família é a pensão de viuvez da Sra. Alice. A filha Antónia vai ajudando pontualmente.

A Sra. Alice é uma pessoa muito querida na aldeia, todos lhe reconhecem uma enorme generosidade e tem sempre um sorrido nos lábios. Raramente se queixa, apesar da vida difícil que leva.

A casa tem vários problemas, tanto ao nível do telhado (chove dentro de casa), do isolamento quase inexistente, da canalização que está em muito mau estado e da parte eléctrica, que não tem as condições de segurança ideias.

A família teve conhecimento da Habitat for Humanity Portugal através de uma vizinha; para ela é uma bênção pois adora a casa e ter a possibilidade de a ver reparada é um sonho tornado realidade.

Com a ajuda de todos, e em conjunto com a família Alves, a Habitat for Humanity Portugal vai realizar este sonho.


Mais uma família em Amarante terminou o pagamento da sua casa.

Depois de viverem mais de 30 anos numa casa que anteriormente pertenceu aos pais da Sra. Maria, a família Capelas recorreu á ajuda da Habitat for Humanity Portugal para melhorar as suas condições de vida, pois durante esses 30 anos não conseguiram fazer nenhuma obra de manutenção na casa.

Numa primeira fase, em 2011 a Habitat for Humanity Portugal ajudou na substituição do telhado e das janelas.

Mas não demos a nossa missão por terminada, posteriormente, em 2012, e com o apoio da Fundação Manuel António da Mota, a Habitat for Humanity Portugal trabalhou nos restantes problemas da casa. Desta forma, a família Capelas passou a ter uma casa segura e digna onde morar.

O dia em que uma família paga a última prestação, é sempre um dia especial. É o fim de um ciclo, no entanto, a ligação com esta família irá continuar para sempre, tanto com a Habitat for Humanity Portugal como com todos os que contribuíram para que mais uma família tivesse uma habitação digna.

Escola Americana de Haia em Portugal

Pela primeira vez, a Habitat for Humanity Portugal está a acolher uma equipa Holandesa.

Um grupo de 14 voluntários, entre alunos e professores, da Escola Americana de Haia veio a Portugal para ajudar na reconstrução da casa para a a família Lage em S. João de Rei - Póvoa de Lanhoso.

Este equipa é formada por alunos e professores de várias nacionalidades, chegaram no dia 26 de Fevereiro e partem de Braga no dia 4 de Março.

A ligação entre esta escola e a Habitat for Humanity já vem desde 2008, quandoum grupo de 10 alunos decidiu começar um clube com o fim de ajudar a filial de Nova Orleãs.
Passado um ano eram já mais de 20 os alunos ligados a este prjecto. Em 2010 trabalharam na reconstrução de uma casa nesta cidade.

Este ano escolheram a Habitat for Humanitu Portugal como destino, o que muito nos deixa felizes, pois é mais uma parceria que iniciamos.

Esta equipa já se encontra a trabalhar em obra, onde vão realizar as seguintes tarefas: remoção de paredes existentes, colocação de cimento nas paredes, enchimento de pilares entre outras tarefas.

Esperamos que este o início de uma longa parceria entre a Escola Americana de Haia e a Habitat for Humanity Portugal.


A FAMÍLIA FONSECA


Há mais de 30 anos que a Sra. Maria Cristina vive em Chorente, numa casa sem as mínimas condições de habitabilidade.
 

Foi nesta casa que criou dois filhos, que emigraram para França à procura de uma vida melhor, e de arranjar meios para poder ajudar a melhorar as condições de vida da mãe.
 

Passados muitos anos de luta, a Sra. Maria chegou até à Habitat Portugal, e, depois de um longo processo, conseguimos finalmente criar condições para avançar com o projecto.
 

A Sra. Maria trabalha como empregada de balcão num café da localidade e vive com o Sr. José, o seu companheiro que se encontra actualmente desempregado.
 

Os principais problemas da habitação são: casa de banho sem as mínimas condições, falta de isolamento, instalação elétrica muito degradada, fugas no telhado, soalho em perigo de ceder, entre outros problemas.
 

Este será um projecto de médias dimensões, onde a Habitat Portugal terá como prioridade o melhoramento da parte interior da casa e do telhado, que são as partes mais críticas.
 

Ambos os filhos vão ajudar na construção quando vierem a Portugal de férias; assim como apoiar financeiramente no pagamento da prestação.
 

Depois do fim desta intervenção, a família Fonseca poderá finalmente viver numa casa digna, onde terá as condições higiene e segurança mínimas.

________________________________________

A FAMÍLIA MAIA
 

Esta é sem dúvida uma história especial, a história da família Maia.

 

As três irmãs, Lucinda, Josinda e Graça viviam sozinhas na casa que já foi dos seus pais, sendo o seu único rendimento a reforma da irmã mais velha, Josinda.

Apesar de muito cuidada por dentro, a casa não tinha luz eléctrica, água canalizada e não tinham casa de banho (nunca tinham tido). O telhado era também outro problema, chovia dentro de casa e temia-se que as telhas voassem sempre que houvesse ventos mais fortes.

As senhoras são muito simpáticas, humildes e generosas. E, embora não tenham muitas possibilidades económicas, no ano passado acolheram um vizinho que vivia como sem-abrigo, dormindo ao relento e sobrevivendo de esmolas. Elas deixaram-no dormir no quarto da cave e dão-lhe comida em troca de trabalho no campo onde cultivam todos os legumes que necessitam.

A Lucinda tomou conta da mãe que morreu de cancro e sofreu uma depressão depois da sua morte. A casa e a melhoria das condições em que viviam as três sempre foi sempre o seu maior desejo. O pedido chegou-nos através de uma vizinha que lhe empresta algum espaço do seu frigorífico para que as três irmãs possam guardar algumas das suas coisas.

Este é um caso de verdadeira generosidade, onde esta família que tão pouco tem, abriu as portas de sua casa para receber alguém mais necessitado.

Com a ajuda de muitos voluntários e da Fundação Manuel António da Mota, a  Habitat for Humanity Portugal vai realizar o sonho desta família: ter uma casa digna e segura onde possam viver.

Poderá ver mais fotografias na GALERIA

____________________________________

Habitat for Humanity Portugal
A visão da Habitat Portugal é: "Um Mundo onde todos tenham um lugar decente onde morar."
Convicta que a habitação é um direito fundamental de todas as pessoas, a Habitat Portugal já ajudou, desde 1996, mais de 250 pessoas em Portugal através da construção ou reconstrução de habitações.
A Habitat Portugal procura também chamar a atenção para o problema da pobreza habitacional através de várias iniciativas.